Anatoly Ivanovich Savin, Herói do Trabalho Socialista de 1976

A União Soviética foi capaz de levar a guerra ao espaço de modo real. As habilidades desenvolvidas pela antiga Super-Potência e as novas tecnologias permitem uma defesa anti-míssil intransponível, assim disse ao jornal russo “Rossiyskaya Gazeta” o cientista Anatoly Ivanovich Savin.



Savin tem 95 anos e apesar da idade avançada, o mesmo exerce o cargo de diretor-cientifico da JSC Concern VKO "Almaz-Antey", maior empresa do mundo em matéria de sistemas antiaéreos.



Ao jornal russo, Savin disse que a URSS não podia ignorar o fato que os EUA estavam idealizando uma guerra com sua arquirrival também no espaço. Daí os cientistas russos passaram a trabalhar nesse sentido e esses desenvolveram padrões complexos únicos, que até hoje se mantém atuais à Rússia. Esse padrão pode garantir a segurança da Federação Russa tanto contra ataques com mísseis, como também pode destruir satélites inimigos.



Savin disse que a URSS nunca deu caráter agressivo a esse programa e que o mesmo foi desenvolvimento para salvaguardar o país de uma agressão americana.



“Os primeiros testes (com as armas anti-satélites) começaram em 1970. Então, nosso míssil interceptador foi feito em estilhaço por nosso alvo. Em seguida, houve novos desafios e metas para atacar satélites. Em 1979, o nosso complexo foi colocado em estado de alerta. Enquanto o ocidente fazia alarde (propaganda) de seus feitos, a URSS já tinha destruído 12 satélites alvo”, disse Savin.



“Muitas de nossos projetos era muito mais simples e melhores que os americanos. Portanto, estamos à frente na corrida armamentista espacial. Embora, repito, a URSS nunca teria iniciado uma guerra no espaço primeiro”, disse Savin.



Por fim, Savin afirmou que o sistema de gestão de informação aeroespacial criado na URSS em 1970 permitiu até hoje a Rússia manter a paridade estratégico-militar com os EUA e com toda OTAN.


O Informante

Fonte: Cientista russo afirma que a Rússia está à frente dos EUA para a guerra no espaço»

0 comentários